NOSSOS BLOG'S

BLOGS: * das Xerifas - FORASTEIROS: * Tradição
Aqui, quando mortos, viveremos, quando mudos, falaremos.

domingo, fevereiro 22, 2009

Nem só de gol vive o futebol...


Nesta ultima sexta feira, foi produzido um feito bonito e quase perfeito, eu (Helvio) recebi um passe no ataque com força e rasteiro, estava um pouco a frente da linha da bola, portanto tive que virar as costas para a meta adversária, o Beto (contrário) no intuito de antecipar e confiando que eu não disputasse a bola (quase sempre eu tiro o pé, para evitar lesão) deu o “bote” eu tirei o corpo do encontro do adversário e dei uma “cavadinha” ( toque em baixo da bola, que quando vem com velocidade faz com que ela levante), a bola tomou elevação por cima do adversário e nestes lances nada pode fazer devido a velocidade, dominei a bola e conclui com confiança por cima do Ildo que já fechava os espaços não deixando alternativa, do contrário a conclusão bateria no corpo do goleiro, a bola saiu por muito pouco, num gesto de grandeza fui até aplaudido pelo companheiro, o que eu agradeço.
Porque escrevo sobre “meu lance”, orgulho? Talvez; marcar o fato? Pode ser. Eu quero é levantar uma polêmica que já foi tema até para rusgas.
O lance bonito na nossa idade é raro, o gol é muito importante mas aquele drible desconcertante, aquela janelinha no contra-pé, faz do momento uma alegria para quem vê e quem participa.
Um drible tomado não desmerece quem toma, enaltece o executor desde que não se repita na mesma jogada (jogador deu o brible tomou a frente e em vez de avançar volta para dar outro no mesmo jogador atrasando a jogada), as vezes o drible é dado para traz para segurar a posse de bola (Celso), as vezes é preparação para o chute (janelinhas dadas da ponta para o meio, Beto e Foguinho), as vezes para limpar uma jogada na defesa e com confiança que o adversário não é muito rápido (Janelinha do Clenir geralmente no Miguel).
A propósito quem toma o drible tem que ter discernimento de saber que é do futebol, ficar brabo demonstra falta de coleguismo, admito que a pessoa fique um pouco desgostosa , mas com ela mesmo, de não ter podido interceptar, mas de resto temos que ter esportividade.
Espero que o Beto continue aplicando as janelinhas, no ataque , que o Clenir se divirta na zaga enquanto puder, que o Foguinho execute suas artimanhas e saiba dar e receber ( tanto janelinha quanto balãozinho, é o único que tenta os dois itens), a propósito deu balãozinho no Chico neste mesmo jogo citado que o Feck teve de intervir, segundo alguns, para preservar o orgulho do “patrão” e o Chico não ficou chateado (um pouco desconcertado).
Salvem os lances bonitos dos Forasteiros, pois de lances feios estamos cheios.
Postar um comentário

Arquivo do blog