NOSSOS BLOG'S

BLOGS: * das Xerifas - FORASTEIROS: * Tradição
Aqui, quando mortos, viveremos, quando mudos, falaremos.

domingo, setembro 13, 2009

Fotos e Fatos do carreteiro no piquete dos Forasteiros


Chegando no piquete dos Forasteiros. A montagem toda já nos conforme, graças ao esforço da turma que se dedicou para conseguir, desde o espaço e o material necessário, os braços para que o piquete fosse erguido e funcionasse. Entre os que consegui apurar estão o Celso e a Cláudia, o Hélvio e a Sandra, o Chico, o Sérgio e o Maninho. Além da colaboração da turma toda, emprestando um objeto aqui, outro acolá, e doando um material, algumas cevas, etc. A Sandra trouxe inclusive umas "árvores" de casa para dar um toque especial na entrada do piquete. Bem guardadas pelo Vitorhugo, neto do Valdemar, e pela Eduarda, minha netinha.
Do meio da fumaça e da mão do mestre Celso, eis que surje, do fundo da panela, o tão esperado carreteiro. A Sandra andava preocupada se a turma ia gostar do prato da noite ou não. Foi quando surgiu, desconfio eu, da cabeça do estrategista Hélvio, uma fórmula para tranqüilizar a esposa e garantir o apetite da turma: atrasar a janta por uma hora. E não é que deu certo. Se tava bom eu não sei: mas que a turma comeu até se empanturrar, isso lá comeu. Acompanhado de um pãozinho e de uma saborosa salada de cebola com tomate e uma verde que eu nuca sei do que é. E bebeu prá mais de metro. Melhor. De litro, de latão, de latinha...
Depois da janta, lombrigas satisfeitas, a turma começou a se entregar. Nesta foto, a minha netinha Tainá já capotou no colo da mãe Caterina, sob vigilância atenta do pai Milton. Que ainda saboreou mais uma ceva, mas a esta altura já estava querendo mesmo era um bom berço. A noite chuvosa e friolenta era mais do que um convite persintente, era um argumento quase que irresitível. E eu, que táva de carona, só tive que agradecer. Apesar da parceria ser de primeira, "táva lôco" prá fazer o mesmo.
Mas antes, é claro, não podia faltar a cantoria. Sanfona, violão e pandeiro à postos, com Celso, Pitico e Acelino da Costa no comando, o som gaudério soou pela primeira vez no piquete e só Deus, e quem ficou prá contar a história, sabem que horas terminou.
Pelo ânimo da turma, acho que não foi tão cedo. Os agradecimentos pelo show dado pelos visitantes Acelino e Edson da Costa, tio e primo do Hélvio e da Sandra, que gentilmente se juntaram à nós e deram um show de música e canto. O Pitico inclusive já tem o seu CD gravado, provando o seu gabarito. Gente como essa tem no sangue o espírito gaúcho e a raça farroupilha.
Postar um comentário

Arquivo do blog